Participe neste blog...

...enviando a sua mensagem para aqui.

Últimas...

...notícias sobre FC Porto

...referências em blogs sobre FC Porto

Links

Posts recentes

Estou enojado

O nosso FC Porto

A Luz que inspira - JOÃO,...

PORTISTAS ... ESTA É À NO...

Vamos ao penta

Brevemente...

lucho

...

Calma

LOLOL

Carrega Por...

LUCHO GONZALEZ

Quais os melhores reforço...

ÁLVARO PEREIRA É REFORÇO ...

DOBRADINHA À MODA DO PORT...

DOBRADINHA À MODA DO PORT...

Encontre o seu par, avent...

TRISTE REALIDADE

coisas ridiculas

Tripas à Jesualdo

BETTENCOURT ELOGIA MODELO...

taça de portugal

BENFICA FAZ SIMULACRO

...

TETRACAMPEÃO

TETRACAMPEÃO

Dragao do tetra

FC PORTO - DEFESA MENOS B...

O TETRA ALI AO DOBRAR DA ...

mensagem

porto

calabote

TENHO ORGULHO DE SER PORT...

CELEBRAÇÃO PASCAL

UM PORTO DE HONRA

MST - 07ABR09

Orgulho de ser Portista!!...

ESTRELA DA AMADORA-BENFIC...

JUSTA HOMENAGEM

Tags

adepto

adeptos

adriaanse

adriaansen

apito dourado

benfica

benfiquista

boavista

campeao

campeoes

co adrianse

comunicado

demissão

diego

ditadura

dn

dragao

dragões

dragoes

f.c. porto

fcp

fcp. portista

fcporto

futebol

golos

hugo

jacobus treinador fcp

jaime pacheco

jesualdo

jesulado

lisboa

manuel josé

mourinho

mouros

pc

pinto costa

postiga

presidente

professor

rui barros

sad

seriedade

slb

sokota

super

timoneiro

treinador

treinadores

vale azevedo

viseu

todas as tags

Arquivos

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Subscrever feeds

blogs SAPO
Segunda-feira, 19 de Maio de 2008

Comentàrio de um anónimo Portista

Eu não sou portista, mas tal facto não me impede de encarar os factos com
seriedade e de os tratar como tal; factos e não convicções. Presentemente
tenho que confessar que já não consigo calar a minha revolta e estupefacção
pelo momento que atravessa Portugal.

Assistimos, neste momento, ao assassinato social de uma personagem pública,
em absoluto frenesim mediático e perante o gozo, finalmente alforrio, de
três quartos do país. Pinto da Costa é o seu nome e atrás dele arrasta-se
pelo chão o nome do clube a que ele preside – o Futebol Clube do Porto.

Na entrega dos Globos de Ouro, onde o Jesualdo Ferreira recebeu o galardão
de treinador do ano, as vaias e apupos que se ergueram só não foram mais
explícitas na transmissão televisiva por causa das palmas pré-gravadas; esta
reacção fez-me corar de vergonha como se tivesse sido eu o alvo. Perante a
audiência das elites mediáticas sufragou-se o nojo do país por tal clube e
presidente.

No dia seguinte a um outro espectáculo mediático, este o da leitura da
sentença da Liga de Clubes, publicaram-se notícias sobre a perda de sigilo
bancário de Pinto da Costa em relação a contas de empresas suas, vítimas de
denúncias de Carolina Salgado. Quando o inimigo cai no lodo não se deve
cometer o erro estratégico de o deixar levantar; as solas das botas servem
para alguma coisa.

Mas afinal qual a causa que levou, finalmente, à condenação, não dos
tribunais – que estes são o que sabemos – mas em sede da opinião publica
(desportiva?), do homem por causa de quem foi formada a segunda equipa
especial de investigação do Ministério Público em toda a história da
terceira república em Portugal. Antes desta só uma foi criada e foi-o para
investigar um outro fenómeno de "proporções equivalentes": as FP 25 de
Abril.

O que está aqui em causa não é se ele é corrupto ou não. Eu disso não sei e
se o for não sei se é muito diferente dos que o perseguem, inclusive dos que
dirigem o meu clube. O que está aqui em causa são duas acusações
específicas, ocorridas numa determinada data, envolvendo determinadas
pessoas. Acusações que são o corolário de anos de investigação por parte da
mais cara e mais "independente" equipa de investigação em Portugal e que
continuamos a pagar como se não houvesse problemas mais graves a resolver
neste pais. Por mais que alguns queiram, não se trata de absolutamente mais
nada.

Todos os que comentam este caso confessam, em privado ou na televisão, o seu
desconhecimento do processo, mas no entanto louvam a coragem da condenação.
Como é possível? Que estado de loucura é que nos atingiu?

De certeza que não é por causa das escutas telefónicas que Pinto da Costa
será condenado, porque se for, não se compreende por que é que as escutas
que mostram Luís Filipe Vieira, João Rodrigues e Veiga a escolher árbitro e
pedir favores, e que foram publicados nos mesmos jornais, não deram origem a
processos.

De certeza que não é por causa do testemunho de Carolina, porque em qualquer
parte do mundo ela não seria considerada uma testemunha credível. Não por
causa do seu passado de alterne, mas porque é uma companheira desavinda e
com pronunciada e notória intenção de denegrir o antigo companheiro. Para
além disso nunca conseguiu apresentar qualquer prova do que afirmou,
exibindo apenas testemunhos contraditórios. E testemunhos valem o que valem.
Todos podemos dizer mal ou bem de quem nos apetecer.

Pinto da Costa é condenado porque existe uma generalizada convicção de
culpa. De que é corrupto e que arquitecta os resultados do clube a que
preside à mais de vinte e cinco anos e que portanto este não os merece e que
lhes deviam ser retirados. Esta convicção continua a ser uma convicção e não
uma certeza, depois do falhanço da toda-poderosa equipa de Morgado em apurar
factos novos e emancipados da Carolina. Neste momento a equipa da eminente
magistrada investiga transferências de jogadores do FCP e mais recentemente
empresas de Pinto da Costa para apurar fugas ao fisco. Tudo com base nas
informações de Carolina. Já não se trata de futebol. É a procura de um ponto
fraco, do calcanhar de Aquiles. Trata-se de um inimigo que urge abater a
qualquer custo. Se doer melhor. Eu nisto não me revejo.

E quem possui, então, esta convicção tão forte que até se confunde com uma
certeza? Esta convicção que desmobiliza qualquer interesse sobre aspectos
legais ou morais e apenas direcciona para o pelourinho. Os adeptos do Porto
não a têm, claro. Têm-na os adeptos dos seus dois clubes realmente rivais,
os quais constituem perto de três quartos dos adeptos em Portugal.

E como é possível que massas tão colossais de pessoas tenham crenças tão
parecidas ou tão diferentes?

A explicação não me parece difícil. Todos se lembram do campeonato ganho
pelo Sporting em 1999/2000? Pois o Sporting chegou ao último jogo com dois
pontos de vantagem sobre o Porto, depois de o segundo ter sido "roubado" de
uma forma – mesmo eu tenho que admitir - inacreditável, por Bruno Paixão em
Campomaior. Os meus amigos portistas ficaram cabalmente convencidos da
corrupção desse campeonato que lhes roubou o "Hexa".

No ano seguinte o mundo do futebol escandalizou-se com a benevolência com
que o "sistema" permitiu ao Boavista molhar a sopa em praticamente todos os
relvados do país, deixando uma esteira de mortos e feridos nas fileiras
adversárias.

Em 2001/2002 o Sporting ganhou um campeonato em que os adeptos contrários se
indignaram com o número de jogos resolvidos com penaltis. As suspeitas foram
como de costume descomunais.

Em 2004/2005 o Benfica arrecadou um campeonato invulgar, pisando com
pezinhos de lã o que se convencionou chamar de "passadeira vermelha". Mais
uma vez foi grande e generalizada a revolta e a suspeita.

Ora, este curto parágrafo contém a descrição de todas os campeonatos ganhos
por equipas adversárias do Porto desde 1994 e isto é que constitui o cerne
do problema. Basta aplicar a fórmula explicada em cima para se perceber o
porquê do ódio ao Porto e da convicção, por parte dos adversários, da sua
culpa e da do seu presidente que tem permanecido o mesmo.

Neste país ninguém ganha por merecimento. Tudo ganha na batota. Ganhasse o
Porto dois campeonatos por década e era um clube simpático e o presidente um
tipo culto que até declama poesia, passe a pronúncia.

É claro que existe corrupção no futebol. Ninguém é ingénuo. No futebol e na
politica, nas modalidades amadoras e sociedades recreativas. A corrupção
existe onde existem interesses. Nas mesas de café, por entre cervejas e
tremoços, os amigos e conhecidos repartem amigavelmente estas histórias e
convencimentos, riem-se do golo que marcaram com a mão e ofendem-se com a
vista grossa feita à bola que bateu em pelo menos 15% do ombro e portanto
deveria ser penalti.

Falta apenas o catalisador de todas estas energias, positivas e negativas e
o catalisador são os media. No momento em que escrevo este texto não sei
quantas pessoas o vão ler, mas se o fizer na televisão sei que vai ser
escutado por milhões. Os dirigentes dos clubes que não ganham o suficiente,
ou então velhas comadres desavindas, extravasam os seus ódios e
dissimulações nos meios de comunicação e catalisam todas as frustrações dos
adeptos que conduzem da mesma forma que os políticos gerem os povos nos
comícios e mesas de voto.

Temo que o processo tenha ido longe demais e apenas a justiça civil tenha
oportunidade de repor o estado de direito que permanece na aparência mas que
foi suspenso de facto. Nesta sociedade, quem acusa tem que provar, não o
contrário. Nesta sociedade, perante a justiça, causas iguais originam
processos iguais. Não pode haver descriminação. Não pode haver perseguição.

Aquilo que está aqui em causa é apenas demonstrar se os dois acontecimentos
de que Pinto da Costa é acusado são provados ou não. O resto é política,
mediatismo ou clubite.

Quando a chacina de uma pessoa por causa de campeonatos ou outra coisa tão
mesquinha como esta, é permitida - gostemos da pessoa ou não da pessoa, e eu
não gosto - mais vale passarmos mudarmos de vida. No fim, o trago será
sempre amargo.Assim não vale a pena.



Retirado do Blog “renovaroporto”.





CALABOTE





P.S.

- Parabéns ao Olegário. Well done !
publicado por comunidade às 10:22
link do post | comentar | favorito
12 comentários:
De Patricia a 21 de Maio de 2008 às 16:08
Concordo com o que Li. Penso que afirmação do Sr. Dias da Cunha no Prós e Contras diz tudo "O Porto e o Boavista são os bodes expiatórios de um processo desportivo".
Quanto aos arbitros, penso que deviam ser punidos pelas más arbitragens... em qualquer empresa um mau trabalhador é despedido por justa causa quando não desempenham a sua função ou quando faz o seu trabalho sem cumprir os critérios pré estabelecidos.
Acho inacreditável como é que o sr. Olegário no jogo da taça expulsa o João Paulo e no lance do Derlei com o Pedro Emanuel é só assinalada falta - na minha opinião é também jogo perigoso que põem em risco a integridade fisica do jogador...
De Anónimo a 21 de Maio de 2008 às 17:23
De Anónimo a 22 de Maio de 2008 às 23:05
Comentário apagado.
De DO TEU PAI a 23 de Maio de 2008 às 09:44
Ó FILHO ESTÁ CALADINHO QUE PARA O ANO O BENFICA VAI TENTAR FAZER ISTO POR OUTRO LADO. NÃO VAMOS COMPRAR JOGADORES, VAMOS É COLOCAR PESSOAL NA LIGA, TIPO O HOMEM DAS CUNHAS.
De Anónimo a 23 de Maio de 2008 às 11:30
Ouve lá o Marroquino de Merda , és mesmo um Porco Africano, vai lá lavar essa boca que parece uma fossa......

Comentar post